domingo, 31 de outubro de 2010

Identificada substância que provoca sentimento de medo

Investigadores brasileiros e americanos detectaram um composto químico – feromónio - segregado por vários predadores e que, em experiências laboratoriais, causou medo em ratos. De acordo com o artigo publicado na revista Cell, no órgão vomeronasal, localizado no nariz e responsável por comportamentos sexuais ou de agressividade – há neurónios específicos capazes de detectar essas moléculas que induzem ao medo.

Esta descoberta poderá contribuir para que futuramente se perceba como as informações sensoriais são processadas no cérebro humano e se controlem problemas como fobias, stress pós-traumático, esquizofrenia, entre outros.
Ao longo dos próximos três anos, os investigadores pretendem estudar os receptores que detectam estas moléculas e de que forma esse processo se transforma em actividade eléctrica no cérebro para, depois, se gerar o sentimento de medo.

O estudo de como os estímulos recebidos nos sistemas sensoriais da visão, da audição e do olfacto são interpretados e respondidos, tanto ao nível do comportamento como da produção de hormonas, pode ajudar a tratar doenças mentais, neurodegenerativas e fobias que estão ligadas a esse mecanismo.

Os investigadores consideram que o sistema olfactivo é um excelente modelo para o estudo dessa transformação, na medida em que a ligação entre estímulo e comportamento é directa, independente do aprendizado e da memória.


O que esta investigação trouxe de novo foi a verificação da importância do órgão volmeronasal nesse processo, assim como a identificação da substância responsável pelo medo. Para isso, os investigadores modificaram geneticamente os ratos, cujo órgão volmeronasal não tinha nenhuma função. Deste modo, puderam determinar se o órgão estava ou não envolvido com respostas comportamentais.
Depois de avaliarem a resposta de medo dos ratos a odores de vários predadores como gatos ou cobras, verificaram que, ao contrário dos ratos normais, que emitiram respostas comportamentais a esses odores, os animais alterados não demonstraram medo e, pelo contrário, sentiram-se atraídos pelo odor dos predadores.
A substância responsável pelo sentimento de medo pertence ao grupo das Proteínas Maioritárias da Urina (MUP), que são segregadas na urina, na saliva, no suor e no sangue. Os investigadores formularam esta substância sinteticamente, para que não fosse contaminada e comprovaram o seu efeito.


Descobriram ainda que neurónios específicos actuavam na identificação do feromónio do medo. Para isso, utilizaram uma técnica chamada de cálcio intracelular, que faz com que, quando uma célula é activada, o cálcio penetre no seu interior e se ligue a um corante fluorescente. Observando microscopicamente, os pesquisadores identificaram as células que eram activadas.

Fonte: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=42659&op=all

Dos CIENTIFICAR

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Piadas Científicas

Olá a todos!
Deixamo-vos aqui algumas anedotas científicas para se divertirem enquanto aprendem ciência!


Pergunta: O que é Ba(Na)2 ?
Resposta: Banana

Na aula de Físico-Química:

Durante a aula o professor pergunta para a Mariazinha:
- Menina, o que significa a fórmula H2SO4 ?
E a Mariazinha diz: Eu sei ! Eu sei! Está aqui professor, na ponta da língua...

e o Joãozinho, mais rápido dá uma palmada na cabeça da Mariazinha dizendo:
- Cospe ! Cospe que é ácido sulfúrico.

Esperemos que gostem!

Dos CIENTIFICAR


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

O nosso logótipo final


Boas! Eis o nosso remodelado e definitivo logótipo!:D 
Para justificá-lo defendemos que:

• As temáticas do trabalho rondam as disciplinas específicas dos elementos do grupo, isto é, a biologia, a química e a psicologia, associadas às três orbitais. (É de realçar que as orbitais não estão correctamente desenhadas pois designam lugares possíveis no espaço onde se localizam os electrões e, dada a dificuldade nessa representação, optámos por desenhar linhas definidas (as quais poderiam estar associadas ao conceito de órbita). Assim é de referir que para além da limitação gráfica deve entender-se aquelas elipses não como órbitas mas sim como orbitais);

À psicologia associamos a cor azul, à biologia a cor verde e à química a cor amarela;

O logótipo sugere a ideia de um átomo (partícula constituinte de toda a matéria – química), com o seu núcleo substituído pelo planeta Terra, à volta do qual e nas suas orbitais podemos observar alguns electrões (partículas com carga negativa);

Ao ser substituído o núcleo do átomo pelo planeta Terra está a fazer-se uma clara alusão à componente biológica do nosso projecto, na medida em que na Terra existem variados subsistemas que interagem entre si;

As orbitais à volta da Terra dão a ideia de abrangência que a ciência tem nos dias de hoje;

O próprio planeta sugere o princípio em que radica o nosso projecto, o princípio da divulgação e difusão da cultura científica;

O planeta Terra dá azo a que se perceba que se pode fazer ciência em toda e qualquer parte do mundo por todas as comunidades.

Fiquem bem...

Dos CIENTIFICAR




sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Curiosidades

Boas!

Viemos deixar-vos algumas curiosidades de cariz científico que podem despertar o vosso interesse... =D

Cansaço humano
Quando realizamos esforços, a carência de oxigénio no organismo origina a formação de ácido láctico nos músculos (através da fermentação). Este ácido láctico é responsável pelas dores musculares persistentes. As condições ideais para o organismo eliminar este ácido são o repouso e muito oxigénio (ar puro).
Foguetes luminosos
Os componentes dos foguetes responsáveis pelos efeitos luminosos são os elementos do grupo 2 da tabela periódica – os metais alcalino-terrosos (Berílio, Magnésio, Cálcio, Bário e Estrôncio). Quando sujeitos a uma fonte de energia forte (pólvora), cada um destes elementos emite uma luz intensa com uma determinada cor característica. A cor branca é produzida pelo Magnésio, a vermelha pelo Estrôncio e a verde pelo Bário.
Grafite e Diamante
A grafite utilizada como mina do lápis, por muito estranho que pareça, tem uma composição igual à do diamante. Estes dois minerais (polimorfos – igual composição química mas diferente estrutura cristalina) são formados exclusivamente por carbono. As propriedades destes diferem muito graças à diferente estrutura cristalina. Enquanto a grafite serve para escrever (desfaz-se no papel), o diamante é conhecido como o material natural mais duro.
Urtigas
As folhas de urtiga contêm espinhos com ácido metanóico ou fórmico. Este ácido é o responsável pelas picadas dolorosas quando tocamos as folhas da urtiga. O ácido fórmico é incolor e extremamente pungente. Existem formigas que utilizam este ácido como veneno.
Aromas dos frutos
Os ésteres têm odores característicos dos frutos. Por exemplo, o butanoato de butilo é um composto com o aroma do ananás. Da mesma forma, o valerato de isoanilo tem o aroma da maçã e o etanoato de isoamilo é o composto que dá o aroma à banana. Estes ésteres são largamente utilizados na indústria alimentar como aromas sintéticos.

Dos CIENTIFICAR


sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Dúvidas!

Olá a todos!
Queremos tornar o nosso blog mais interactivo...
Por isso, se tiverem alguma sugestão de artigos que nos queiram propor e/ou essencialmente questões de cariz científico às quais queiram a nossa resposta, informem-nos sobre o que pretendem saber através dos vossos comentários!
Agradecemos a vossa colaboração e ajuda para tornar este blog mais interessante.
Tentaremos responder o mais brevemente possível às vossas questões! :D

Portem-se bem!

Dos CIENTIFICAR

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Novo Logótipo


Olá! Como podem ver alterámos o nosso logótipo! Aquele que está inserido no vídeo era um logótipo provisório e susceptível a alterações, por isso, para não haver confusões aqui está o logótipo do grupo...
Esperamos que gostem.  =D 

Com os melhores cumprimentos, 
Dos CIENTIFICAR


sexta-feira, 1 de outubro de 2010

video

E aqui está como prometido o nosso vídeo de apresentação.
Por aqui podem ver os nossos objectivos bem como os produtos finais que pretendemos alcançar.
Comentem! :) Caso não consigam visualizar o vídeo no blog este é o link ao qual devem aceder no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=rdXRmwl7Xbw
Pedimos desculpa pela pouca qualidade do vídeo, fruto da publicação no youtube.
Enjoy!

Dos CIENTIFICAR